“Cidadania participativa e ações sustentáveis"

Hoje seria o dia de simplesmente homenagear. O "sangue-da-vida" que a mãe Natureza nos presenteou, a ÁGUA, esse elemento maravilhoso que leva a fertilidade e a vida onde passa, que compõe mais de 80% do nosso corpo, que está presente em Todos os seres vivos que diretamente dependem dela.
Vejo, porém a necessidade de deixar o alerta. O mal-uso e a falta de políticas públicas eficientes, estão acabando com a água potável no planeta e mais especificamente em nossa região, em que a Natureza permitiu que rochas porosas armazenassem 37 mil quilômetros cúbicos de água e nós a batizamos de Aquífero Guarani.
A mesma rocha que absorve a água também absorve impurezas provenientes de poluição por óleos, gasolina, chorume e tantas outras fontes de contaminação de solos. Daí a importância da destinação correta de resíduos, de lixo ou de mineração.
Público ou privado o desperdício padece de regulamentação, de fiscalização e de precificação. A outorga de águas públicas fará com que a empresa recolha ao erário taxas referentes à água extraída, e irá obviamente repassar ao consumidor. Ajudará bastante a evitar o desperdício privado, mas e o público ? Será que o DAERP irá em algum momento reconhecer a importância da preservação da água ao invés de valorizar a extração ? Adianta extrair mais e desperdiçar mais ?
Apresento-lhes um curto vídeo e desejo que todas as próximas gerações, seus filhos e netos possam continuar a beber a melhor água do mundo diretamente do Aquífero. Feliz dia das Águas.
 

 

[ Ler Mais ]


Sem ter condições de implementar uma política pública de resíduos sólidos, a Administração não consegue deter a natural expansão e acúmulo desses sedimentos oriundos da construção civil e outros resíduos congêneres
Desde um simples puxadinho, uma reforma da cozinha, ou a troca de alguns azuleijos até o grande construtor que utiliza várias caçambas por dia e lá está ele, o resíduo.
Estima-se em 1.500 toneladas por dia, ou seja, já produzimos aprox. 100.000 toneladas esse ano e ainda estamos no começo de março. Até o dia 31 de dezembro serão por volta de 450.000 toneladas.
É muita coisa. A pergunta não é "o que fazer com esse material", hoje o que se perguntam é onde colocá-lo. A resposta é simples : Onde der. Se for feita outra pergunta como : E a Secretaria de Meio Ambiente ? A resposta será um dar de ombros. A própria Secretaria de Meio Ambiente parece dar de ombros para a questão inviabilizando o diálogo com os caçambeiros que já estão organizados para reciclar, mas sem apoio público , a licença não sai. A falta de capacidade para lidar com o caso faz parecer que todo esse entulho vai para debaixo do tapete.
Deveríamos utilizar a Usina de Tratamento de Resíduos Sólidos, então, como opção pública para transformar esses resíduos em produtos de reuso para serem aplicados nas obras públicas.
Reciclar os materiais é se não a melhor , a única alternativa para devolver os espaços de volta para a cidade. Cidade, Civitas, Civilidade..., parece ser muito para quem vive no mundo extra-planetário rosa ou azul.
É hora de pensarmos no mundo verde.
Sendo assim , melhor mostrar do que falar. Abaixo o vídeo.
.
 
[ Ler Mais ]


O último quinhão urbano de mata Atlântica se encontra sob risco de fogo e desastres de toda sorte.
Essa importante Unidade de Conservação que guarda em si fungos, insetos, répteis, aves e mamíferos, além é claro de cipós, arbustos e árvores característicos dessa vegetação,alguns ameaçados de estinção tem em seu meio uma via, uma estrada vicinal que liga Ribeirão Preto a Guatapará, passando pela não menos famosa venda do Zé Goleiro.
Acontece que o Ministério Público fez um acordo com a prefeitura e esta seria responsável pela manutenção da porteira fechada impedindo o trânsito de veículos, que não fossem o dos moradores do entorno. Cada morador deveria ter uma chave do cadeado que trancaria a porteira, preservando assim a Mata.
A prefeitura não cumpre a sua parte do Acordo Judicial, o MP não cobra, a população não respeita e a mata padece.
A solução é fechar. Como ? Uma viatura policial no local orientando a população e fazendo blitz já pegaria vários veículos com documentação irregular, motoristas sob efeito de álcool e outra irregularidades que coibiria o trânsito por essa via. fica a sugestão, fica o apelo para a prefeitura honrar a sua parte do acordo.
 
[ Ler Mais ]

Eu voto distrital