“Cidadania participativa e ações sustentáveis"

Esse é o sentimento do povo Brasileiro, quando é barrado na orgia política do Governo.
O Povo se sente constrangido ao não participar das verbas dos partidos políticos, em não poder opinar sobre a eleição de mais um safado para o STF, em não poder protestar..., opa... aí não.
Resolvemos devolver o constrangimento hoje em Ribeirão Preto, para o colo das autoridades Federais, fossem o vice-Presidente, um par de ministros, ex-ministros e toda sorte de leitões mamões das tetas federais.
Manhã de sol e lá estávamos para fazer o que os políticos menos gostam, VAIAR, com todo direito democrático, sem incidentes, sem violência, conseguimos enfiar goela abaixo de Suas Excelências o sapo que nós brasileiros vimos ao longo do tempo engolindo ?
Um pequeno grupo de 60 pessoas, do qual faço orgulhosamente parte, , munidos de faixas, bandeiras, apitos e vontade, muita vontade de devolver o constrangimento às Suas Excelências, conseguiu lograr êxito, durante a 22ª Agrishow, maior feira de implementos agrícolas da América Latina.
E aí Excelência, está feliz com o sucesso do discurso ?
Se 50 pessoas podem calar o Vice-Presidente e todo seu staff, o que podem fazer 50 milhões ?
[ Ler Mais ]

Come.
Come outras coisas também, da mesma forma que toma cerveja, anda de automóvel a combustão, usa embalagens plásticas, tudo em um lado da moeda.
No outro lado da moeda, economiza água, não deixa resto de comida no prato, faz compostagem em casa, economiza energia e mantem tudo com um mínimo de equilíbrio.
O EQUILÍBRIO é o que realmente conta, o meio ambiente é o todo, é a soma e não a divisão. O meio ambiente inclui o homem, o ambientalista educa o homem, o homem faz agricultura e pecuária, o ambientalista melhora e diversifica ambas, o homem faz indústrias, o ambientalista cria os filtros e as leis para controlar as emissões.
Só é possível ver o ambientalista onde não houver extremos, pois a própria Natureza não aceita os extremos, o ambientalista é aquele que se adapta e ajuda os demais humanos em suas adaptações, amparando, acolhendo e também quando necessário, insistindo, exigindo e cobrando.
As forças que se equilibram se favorecem, o Ambientalista ajuda o Homem a permanecer no planeta por mais tempo, mas antes que esse se vá, tenta buscar em cada um o que cada um tem de melhor, para que,no outro plano, possamos encontrar sem constrangimento o nosso Criador sem precisar ter que explicar muito a nossa falta de equilíbrio, a nossa responsabilidade pelo dano, muitas vezes irreparável.
[ Ler Mais ]

Esses dias entrei num prédio e procurei com o Zelador pelo Síndico, e a resposta foi, o Síndico aqui é profissional, administra vários prédios e o escritório é na rua tal.
O Congresso está com a batata quente da Lei de Terceirização na mão, mas será que é tão quente assim ?
Como o prédio que visitei, ao longo de muitos anos não estamos todos entregando a outras pessoas a função de tomar as decisões ?
Quantos pais não entregam a "função de educar" à escola ou pior, à TV ou internet ? Ou então deixamos de fazer a festinha de aniversário em casa para contratar um buffet infantil, ou no caso dos adultos, o famoso "hoje vamos comer fora" ?
Quantas pessoas, por falta de "emprego", inventaram suas próprias profissões e ao prestarem serviço, "terceirizam" atividades básicas, como trocar um chuveiro, ou arrumar uma torneira, ou indo além inventaram atividades novas, inovaram, criaram, desenvolveram novas técnicas e comercializam seus serviços ?
As prefeituras então, não tem mais pedreiros, jardineiros, carpinteiros, mesmo com uma demanda de serviços enorme, se valem da contratação de empresas (superfaturadas/cartelizadas) fora do serviço público, e não aparece um jornal, vereador, ou cidadão comum para reclamar.
Todos fomos com o passar do tempo, nos acostumando com a terceirização, sem nos darmos conta que ela acontece entre nós todos os dias.
Aí aparece um projeto de lei para regulamentar o que já existe, pronto as pessoas acordam. Já é tarde.
[ Ler Mais ]

Sou um desenhista medíocre. (como se pode ver ao lado)
Essa é talvez a razão principal pela qual meus dois filhos menores frequentam escolas de desenho particular. Claro, ambos nasceram com o talento e agora têm a chance de desenvolver a arte em suas vocações.
Concordo que lugar de criança é na escola, é aprendendo entre pessoas que agregam coisas boas e gostaria de aqui colocar a palavra CORAGEM, que vem do Latin "cuore" coração.
Controvertida é a lei que agora com certeza passará no Congresso reduzindo a maioridade penal, corajosos são os parlamentares que votam pelo sim ou pelo não, ambos sujeitos ao escárnio.
O Brasil é novamente desafiado a tomar decisões. Muitos insistem em afirmar que se trata de uma vingança coletiva, ou ainda a aplicação de placebo contra o câncer, e que a lei que diminui a maioridade penal para 16 anos aumentará substancialmente a quantidade de pessoas na cadeia, essa sim escola do crime.
O que poucos estão falando, pelo menos até agora não tenho ouvido falar..., é que a lei fará o jovem de 16 anos ponderar se quer ir para a cadeia ou não.
O fim da certeza da impunidade pode ser benéfico, ainda que a lei leve algum tempo para surtir esse efeito.
Amor, com rigor e disciplina, com educação e oportunidades, com escolas e acolhimento familiar. Estruturas públicas para educar, estruturas familiares para amar, estruturas espirituais para orientar... quase tudo isso já existe, justamente com o funil largo regulado para 18 anos.
Penso que a regulagem do funil para 16 ajudará em muito que todas as estruturas citadas se acomodem de forma que o aprimoramento dessa lei antes de ser um experimento (e todo experimento é bom) seja uma oportunidade, para o Brasil, deixar de ser o país da impunidade.
Como dizia minha avó : Quem viver, verá.
[ Ler Mais ]

Eu voto distrital